PÁGINA PRINCIPAL

         

 
MENSAGENS E REFLEXÕES

AS BODAS DO CORDEIRO

 

Bispo Sebastião Elias

 

IBCA SEDE-17/11/13

EBD 10 HORAS

 

 

As Bodas do Cordeiro

AP 19.

 

As Bodas do Cordeiro será a consumação da união mística entre Cristo e a Igreja. Acontecerá depois que a Igreja for galardoada no BEMA, Tribunal de Cristo. Será conduzida ao palácio real, onde se encontra o “Salão do Banquete” (Ct 2.4), quando então, terá início à celebração das Bodas do Cordeiro.

Neste evento, todos os santos estarão presentes.”
Eu lhes digo que muitos virão do Oriente e do Ocidente, e se sentarão à mesa com Abraão, Isaque e Jacó no Reino dos céus.”
(
Mateus 8:11) Nas Bodas do Cordeiro, a Igreja apossar-se-á de toda a sua herança como a Noiva de Cristo,e Cristo a possuirá,inteiramente concretizando, assim, de maneira amorosa e eterna, o alvo maior do plano redentor: Deus entre o seu povo, e o seu povo a desfrutar-lhe de todos os benefícios advindos desta comunhão. (1) 

O Apóstolo Paulo se referiu a esta noiva quando escreveu aos coríntios: “
O zelo que tenho por vocês é um zelo que vem de Deus. Eu os prometi a um único marido, Cristo, querendo apresentá-los a ele como uma virgem pura”
(2ª Co 11.2)

Apocalipse também nos chama a atenção para o fato de a noiva já está pronta, vestida de linho fino, puro e resplandecente (Ap 19.7,8). Horton faz a seguinte observação sobre o assunto:

Os exércitos do céu, que seguem Jesus em cavalos brancos (simbolizando triunfo), estão “vestidos de linho fino, branco e puro” (Ap 19.14), identificando-os claramente com a Noiva do Cordeiro (a Igreja), que participa das Bodas do Cordeiro (Ap 19.6-9). Isto quer dizer que eles já estiveram no céu e já se vestiram plenamente com “
Foi-lhe dado para vestir-se linho fino, brilhante e puro". O linho fino são os atos justos dos santos” (Ap 19.8, NVI). Isto também nos sugere que o número desses atos já foram completados e que os crentes já foram ressuscitados, transformados e arrebatados para o céu. Do mesmo modo isto implica que eles já compareceram diante do julgamento do Tribunal de Cristo (2Co 5.10). 

a)-Entrada triunfal da Noiva com Jesus no céu.

Como dissemos acima, a celebração das Bodas seguirá os acontecimentos do BEMA de Cristo, haja vista, a Igreja já aparecer adornada com “os atos justos dos santos” (Ap 19.8) que certamente se refere aos acontecimentos do tribunal de Cristo. Certamente será grande a alegria de todos os salvos arrebatados, quando juntos ao seu Senhor, adentrarem no céu, lugar preparado por Ele (Jo 14.1-3). Ali serão recepcionados por multidões de anjos (AP5.11),   que os receberão com cânticos de aleluia (Ap 5.9-12), juntamente com a noiva que também cantará (Ap 5.9,10; 15.3,4).

2)-Jesus apresenta sua Noiva ao Pai.

Durante o tempo do seu ministério terreno, Jesus prometeu aos seus seguidores que permanecessem fiéis, de apresentá-los e confessá-los diante de seu Pai e dos santos anjos.” "Quem, pois, me confessar diante dos homens, eu também o confessarei diante do meu Pai que está nos céus.”(Mt 10.32;)” "Eu lhes digo: quem me confessar diante dos homens, também o Filho do homem o confessará diante dos anjos de Deus.”(Lc 12.8)
“O vencedor será igualmente vestido de branco. Jamais apagarei o seu nome do livro da vida, mas o reconhecerei diante do meu Pai e dos seus anjos”.Ap 3.5).                                      Naquele Dia o próprio Jesus apresentará diante do Pai, os filhos. Ele dirá: “Eis-me aqui, com os filhos que me deu o Senhor” (Is 8.18). Os olhos de Deus, o Todo-Poderoso contemplarão os salvos (Cl 1.23;1Ts 3.17), a Noiva de Cristo, dizendo: "eles serão o meu tesouro pessoal.”
(Ml 3.17).

3-As Bodas do Cordeiro.

O texto bíblico nos diz: “Regozijemo-nos, e alegremo-nos, demos-lhe glória, porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou” (Ap 19.7). Este acontecimento se dará no céu e será o momento triunfal da Igreja de Cristo. Ela estará livre para sempre de toda angústia, luta, pecado, etc. A Noiva está no céu. Será o casamento tão almejado e esperado. Comentando sobre o texto acima, Ciro Ziborde apresenta fatos relacionados ao referido evento:
1) A Igreja do Senhor, à semelhança de uma noiva, estará pronta, preparada para as Bodas (Mt 25.10). Ela já chegará ao local do banquete ataviada, devidamente trajada com as suas vestes nupciais. E Jesus, com grande alegria, a apresentará diante de seu Pai
"Quem, pois, me confessar diante dos homens, eu também o confessarei diante do meu Pai que está nos céus.” “ O vencedor será igualmente vestido de branco. Jamais apagarei o seu nome do livro da vida, mas o reconhecerei diante do meu Pai e dos seus anjos.” (Mt 10.32; Ap 3.5;) “e apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável.” (Ef 5.27) e dos seus anjos "Eu lhes digo: quem me confessar diante dos homens, também o Filho do homem o confessará diante dos anjos de Deus.
(Lc 12.8).

2) Haverá grande regozijo por parte dos salvos, quando entrarem: “
Ele me levou ao salão de banquetes, e o seu estandarte sobre mim é o amor.”(Ct 2.4). Ali, entoar-se-ão cânticos de adoração ao Cordeiro (Ap 5.9-11). A alegria que experimentarão não pode ser comparada a nenhum sentimento desta vida. Daí a razão de glorificarmos ao Senhor em altas vozes.
3) A noiva do Cordeiro estará vestida de linho fino, puro e resplandecente, que representa os atos justos dos santos; ou seja, ela entrará na sala do banquete galardoada, honrada pelo noivo. (3)

Os participantes das Bodas do Cordeiro.

Os participantes do referido evento constará de Cristo, sua Igreja e todos santos ressurretos.

Bodas do Cordeiro e a Ceia de Casamento.

“E disse-me: Escreve: Bem aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus” (Ap 19.9). Estudiosos opinam que deve haver distinção entre Bodas do Cordeiro e Ceia de casamento. Dr. Pentecosts enfatiza sobre o assunto:

A esse respeito parece necessário distinguir as bodas do Cordeiro da ceia de casamento.

O conceito da ceia das bodas é mais bem compreendido à luz dos costumes de casamento no tempo de Cristo.

Esses costumes de casamento tinham três partes principais. Primeiro, um contrato de casamento era assinado pelos pais da noiva e do noivo, e os pais da noiva pagavam um dote ao noivo ou seus pais. Esse passo dava início ao período de noivado. José e Maria estavam nesse período quando ela engravidou do Espírito Santo (Mateus 1:18, Lucas 2:5).

O segundo passo no processo geralmente ocorria um ano depois, quando o noivo, acompanhado por seus amigos, ia à casa da noiva à meia-noite, criando um desfile com tochas pelas ruas. A noiva sabia de antemão que isso ia acontecer, assim se preparando com suas servas, e todos participariam do desfile e iam à casa do noivo. Este costume é a base da parábola das dez virgens em Mateus 25:1-13. A terceira fase era a ceia das bodas em si, a qual podia durar dias, assim como ilustrada pelo casamento em Caná em João 2:1-2.

O que a visão de João em Apocalipse retrata é a festa das bodas do Cordeiro (Jesus Cristo) e Sua noiva (a Igreja) em sua terceira fase. A implicação é que as duas primeiras fases já ocorreram. A primeira fase foi concluída na terra quando cada crente colocou a sua fé em Cristo como Salvador. O dote pago aos Pais do Noivo (Deus Pai) seria o sangue de Cristo derramado a favor da Noiva. A Igreja na terra hoje, então, é a "noiva" de Cristo e, como as virgens prudentes da parábola, todos os crentes devem estar observando e esperando o aparecimento do Noivo (a Segunda Vinda). A segunda fase simboliza o Arrebatamento da igreja, quando Cristo vier para reivindicar a Sua noiva e levá-la para a casa do Pai. A ceia das bodas então segue como o terceiro e último passo.
Não só a Igreja vai participar da festa de casamento como a noiva de Cristo, mas outras pessoas também. Essas "outras pessoas" incluem os santos do Antigo Testamento que serão ressuscitados na Segunda Vinda, bem como os mortos martirizados da Tribulação. Assim como o anjo disse a João para escrever: "Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. Disse-me ainda: Estas são as verdadeiras palavras de Deus" (Apocalipse 19:9). A ceia das bodas do Cordeiro é uma celebração gloriosa de todos os que estão em Cristo!
As bodas do Cordeiro referem-se particularmente à Igreja e ocorrem no céu. A ceia de casamento inclui Israel e ocorre na terra. Em Mateus 22.1-14, em Lucas 14.16-24 e em Mateus 25.1-13, trechos em que Israel aguarda o retorno do noivo e da noiva, a festa ou ceia de casamento é localizada na terra e tem referência especial a Israel. A ceia de casamento torna-se então uma parábola de todo o período do milênio para o qual Israel será convidado durante o período tribulacional, convite que muitos rejeitarão, sendo por isso lançado fora, e muitos aceitarão e serão recebidos. Por causa da rejeição, o convite será estendido aos gentios, de sorte que muitos deles serão incluídos. Israel, na segunda vinda, estará esperando que o Noivo venha para a cerimônia de casamento e o convide para aquela ceia, na qual o Noivo apresentará Sua noiva para os amigos (Mt 25.1-13). 

Em que momento o casamento torna-se público? Aparentemente, a cerimônia de casamento (a fase de apresentação) será realizada no céu em caráter privado, possivelmente logo após o julgamento bema de Cristo. O banquete de casamento (a fase de celebração) será realizado publicamente na terra, logo após a segunda vinda de Cristo. Não é por acaso que a Bíblia descreve o Milênio como imediatamente após o início do banquete (Ap 19-20). 

Como é o caso da maioria dos casamentos, uma distinção deve ser feita entre o casamento e o banquete do casamento. O casamento que une é seguido por um tempo de celebração dessa união (Ap 19.7-9). O casamento ocorre no céu, mas o banquete se dá na terra. Este grande banquete é o retrato do Reino Milenial de Cristo e talvez do reino eterno que se segue. É o retrato da grande alegria que permeará o reino do Senhor sobre todos os redimidos de todas as eras.  Seria melhor adotar essa visão e ver as bodas do Cordeiro como o acontecimento celestial no qual a Igreja é eternamente unida a Cristo, e a festa ou a ceia das bodas como o milênio para o qual, judeus e gentios serão convidados, que ocorrerá na terra e onde o Noivo será honrado pela apresentação da noiva a todos os seus amigos que estão reunidos ali.  Estou convicto que este será um evento indescritível. Será o momento triunfal da Igreja de Cristo em todo tempo. Os santos do Senhor estarão livres para sempre de todos os dissabores desta vida presente, viveremos para sempre com o Senhor, eternamente a adorá-lo para sempre e sempre! Aleluia, aleluia, aleluia! 

 

 

Notas Bibliográficas

(1] Andrade, Claudionor Correia. Dicionário de Escatologia Bíblica. RJ, CPAD pg. 35
(2] HORTON, Stanley M. Nosso Destino, o ensino bíblico das últimas coisas.RJ,CPAD,pg.82
(3]Teologia Bíblica Pentecostal,CPAD,pg.509,10
(4] PENTECOSTS, J. Dwight. Manual de Escatologia,uma análise detalhada dos eventos futuros.SP.Editora Vida,pg.(5-6-7-8) pg.248,9     (9) Tim LaHaye e Ed Hindson. Enciclopédia Popular de Profecia Bíblica, RJ. CPAD, pg. 106
(10)
 Bíblia de Estudo Profética de Tim LaHaye, SP. Hagnos, pg. 1195
(11) J. Dwigth Pentecosts. Manual de Escatologia, uma análise detalhada dos eventos futuros, pg. 249

Home  |  Voltar

ESPAÇO DA

FAMÍLIA

» Saiba Mais   

Menu de Navegação

Home        |        Quem Somos        |        Estudos Bíblicos        |        Bíblia Online        |        Pedido de Oração        |        Entre em Contato

 

Palavra Pré Existente

Site: www.palavrapreexistente.com.br

Telefone: + 55 (71) 3016-9400

E-mail: contato@palavrapreexistente.com.br

WEBSID Internet

Acesso Restrito | Webmail